Pandemia impulsiona o mercado de imóveis de luxo

Postado em 18 de maio de 2021 por

As negociações de imóveis de médio e alto padrão garantiram ao setor, em 2020, o melhor resultado desde maio de 2014

A pandemia teve um impacto negativo em toda a economia mundial – em alguns países com mais intensidade, em outros, com menos. Contudo, não foram todos os setores que sofreram com a crise generalizada. Segundo a Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), a melhora nas negociações de imóveis de médio e alto padrão garantiram ao mercado de incorporação o melhor resultado em 2020 nas vendas desde maio de 2014.

Com a baixa nos juros, os imóveis voltaram a ser opções seguras de investimento e a alta procura impulsionou a valorização dos bens. O índice FipeZap, que acompanha o comportamento do preço médio de venda de imóveis residenciais em 50 cidades, registrou um aumento de 0,46% em dezembro de 2020 e 0,35% em janeiro de 2021 nos valores médios de vendas de casas e de apartamentos.

Esse movimento de mercado influenciou as marcas a apostarem em soluções para atrair consumidores que tendem a valorizar experiências com produtos e serviços autênticos. De acordo com um estudo feito pela Consultoria Euromonitor International, o mercado de luxo teve expressivo crescimento na pandemia.

A projeção é que o setor tenha alta de mais de 20% no Brasil até 2023. Se a previsão se concretizar, o país deve recuperar o posto de maior mercado de luxo da América Latina, perdido para o México em 2014. O chamado “luxo de experiência” será a variação com mais destaque, com alta prevista de 48,2% esperada.

Uma pesquisa realizada pela Brain Inteligência Estratégica sobre comportamento dos consumidores frente ao mercado imobiliário apresenta tendências da nova relação das famílias brasileiras com a casa e com o imóvel a partir da pandemia. Dentre os dados, 87% dos entrevistados buscam por apartamentos maiores com áreas de lazer e home office.

Dados da WOA Empreendimentos Imobiliários corroboram com a pesquisa. Segundo o diretor da empresa, Walter Silva Koerich, do segundo semestre de 2020 até abril de 2021, a construtora registrou uma alta na procura dos imóveis na ordem de 60%. “O que a WOA vem percebendo é que os consumidores estão buscando por imóveis cada vez mais com valor agregado, com diferenciais exclusivos, como paisagem espetacular, espaço interno amplo e sofisticado, além de elementos de decoração com requinte e descontração”, pontua.

Para acompanhar a tendência, a incorporadora lançou o Simphonia Woa Beiramar, um conjunto de quatro condomínios independentes, que apresentam opções variadas de plantas, visando atender a todos os tipos de famílias, além dos acabamentos luxuosos e suntuosas áreas de lazer.

Além de plantas inovadoras, automação e outras amenidades na estrutura dos apartamentos, as áreas comuns e os serviços oferecidos pelos condomínios costumam se destacar. O residencial Queen Victoria (Curitiba/PR), por exemplo, contará com o serviço de ‘butler’ – termo que significa mordomo em inglês. O funcionário atenderá desde os tradicionais serviços de portaria e vigilância até às demandas gastronômicas.

Já o Boa Vista Village, empreendimento no interior de São Paulo, assinado por Sig Bergamin, Murilo Lomas e Pablo Slemenson, aposta nas áreas comuns dedicadas à prática esportiva: campo de golfe, piscina para prática de surfe, centro de tênis com 15 quadras e academia, bicicletas e carrinhos elétricos em sistema de mobilidade compartilhada, centro orgânico e circuito de bike.

O novo condomínio assinado pelo estúdio Pininfarina em Porto Alegre (RS), além do lazer completo, gerador de energia para as residências e tomadas para carregamento de carros elétricos, apresenta unidades fora do comum. Cada apartamento possui quatro suítes, sala de estar integrada com uma área gourmet ampla, automatização nas persianas dos dormitórios, preparo para calefação nos pisos do banheiro e ar-condicionado.

Na mesma linha segue o edifício Pinah em Curitiba, o primeiro a receber o selo Well no Brasil – o primeiro certificado do mundo focado exclusivamente na saúde e no bem-estar humano.
Com cômodos espaçosos e apartamentos cercados por varandas fechadas com vidro, o projeto visa garantir conforto máximo para os moradores. Entre as muitas comodidades, as residências terão: elevador social privativo; pé-direito livre de 2,80 m; esquadrias minimalista térmico-acústicas, piso aquecido em todo o apartamento, com termostato digital; sistema de automação de iluminação, persianas, cortinas e ar-condicionado.

Fonte: www.revistacasaejardim.globo.com/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *