5 startups que democratizam o acesso à arquitetura e ao design

Postado em 27 de maio de 2021 por

Com preços acessíveis, estas empresas buscam conectar arquitetos e designers com pessoas que ainda não tinham acesso a estes profissionais

O acesso à arquitetura e ao design de interiores ainda é uma realidade distante para a maior parte dos brasileiros. Conforme uma pesquisa divulgada pelo Conselho de Arquitetura do Brasil (CAU/BR), em parceria com o DataFolha, 85% da população não utiliza serviços de arquitetos ou engenheiros ao construir ou reformar suas moradias. O receio de encontrar preços fora do orçamento faz com que muitas destas pessoas não cheguem ao menos a pesquisar mais informações sobre estes profissionais. Para tentar mudar este cenário, algumas startups estão buscando alternativar para tornar este contato mais prático e acessível.

Como em todas as outras áreas que afetam diretamente o nosso dia a dia, contar com um profissional adequado na hora de fazer uma reforma em casa é a melhor alternativa para conseguir criar um ambiente confortável, seguro e capaz de transmitir sensação de bem-estar. No entanto, em um país em que mais da metade da população sobrevive com menos de um salário mínimo, outras demandas se tornam mais urgentes.

O desejo de conscientizar mais pessoas a respeito da importância da arquitetura e da decoração fez com que algumas empresas de arquitetura e decoração passassem a oferecer serviços por preços mais acessíves e, em alguns casos, até gratuitos. Confira a seguir cinco iniciativas que buscam tornar o acesso aos profissionais de arquitetura e decoração mais democrático!

1. Upik

O designer de interiores Daniel Alves e a arquiteta Marcia Monteiro desenvolveram a startup Upik justamente para auxiliar pessoas que não imaginavam que era possível ter o apoio de um profissional de arquitetura e decoração na hora de fazer reformas. A startup começou em 2016, por meio de um trailer que transitava pelas ruas de São Paulo e atendia clientes por preços acessíveis em consultorias. “A gente queria fazer com que as pessoas que estão na rua dessem de cara com um serviço de arquitetura para começar essa discusão”, explica Daniel em entrevista à Casa Vogue.

Embora o serviço nas ruas atingisse um grande número de transeuntes, os fundadores da startup entenderam que era necessário procurar uma alternativa mais tecnológica para conseguir atender mais pessoas em outras regiões. “A gente começou a estudar modelos de mercado e entrevistar o público-alvo. Começamos a entender que as pessoas não tinham auxílio de um profissional porque elas achavam caro. Há um senso comum de que a arquitetura e design é algo distante da realidade”, explica o designer.


Quarto infantil projetado para cliente do Arquiteto de Bolso (Foto: Arquiteto de Bolso)

Com base nesta demanda, a startup criou o Arquiteto de Bolso, que é hoje o seu principal produto. A iniciativa consiste em uma consultoria virtual de duas horas — para a resolução de um ambiente até 20 m² — que entrega ao cliente um layout 2D humanizado, perspectivas 3D e uma lista de produtos conforme o orçamento do usuário. O encontro digital é feito com um profissional da empresa, que pode ser um designer ou arquiteto, e que é selecionado por meio de um assistente virtual que analisa às demandas do consumidor.

Atualmente, o preço para a consultoria de um ambiente de até 20 m² é de R$ 99. Há ainda um pacote especial de três ambientes por R$ 198.

2. Muma


Projeto feito pela Muma para um cliente após consultoria (Foto: Muma)

Comercializar móveis e itens de decoração de design autoral de forma acessível, tanto em preço quanto em distribuição, é o intuito da Muma desde o surgimento da loja, em 2014. A empresa, que nasceu em Recife, abriu as primeiras lojas físicas em 2017. Neste ano, além da venda dos produtos, a startup passou a oferecer consultorias presenciais aos clientes com arquitetos e decoradores.

“Quando as lojas fecharam por conta da pandemia, a gente acabou se destacando porque já estávamos preparados para o digital. Foi aí que surgiu a ideia de continuar com essa consultoria. A gente treinou nossa equipe, formada por designers e arquitetos, para continuar online”, explica o CEO da empresa, Matheus Ximenes Pinho.

No início deste ano, startup passou a oferecer atendimento gratuito para pequenos projetos de interiores via WhatsApp (11 3031-9179). Antes da consultoria de uma hora, feita por chamada de vídeo, os clientes preenchem um formulário digital para falar sobre o orçamento disponível, as preferências de estilo e as características do ambiente onde pretendem reformar.

Depois do bate-papo virtual com um consultor, a startup desenvolve uma paleta de cores, um layout com sugestões de móveis e acessórios e produz um orçamento especial para o usuário, indicando quais itens são da Muma e quais não são. “Ao mesmo tempo que a gente oferece de graça, a gente também está atraindo clientes”, conta Matheus.

3. Archie


Imagem 3D entregue para cliente da Archie (Foto: Archie)

Outra startup que também visa tornar o acesso aos profissionais de arquitetura e decoração mais acessível é a Archie. “Percebemos que as pessoas tinham interesses muitas vezes simples, desde uma pequena atualização na decoração, até montar um ambiente sem reforma em um apartamento alugado. Mas não entendiam que o profissional era um agente facilitador neste processo e, sim, um vilão que encarecia o trabalho e impunha seu próprio estilo”, conta a arquiteta Vanessa Prado.

Por conta disso, a arquiteta em parceria com a advogada Fernanda Leão decidiram desenvolver a iniciativa, que é voltada exclusivamente para projetos de decoração. Atualmente, a Archie disponibiliza dois produtos. O primeiro é um pacote completo, disponibilizado por R$ 399 reais por ambiente, e conta com três fases de atendimento com um profissional. Este produto inclui a criação de uma paleta de cores, a definição do layout de um ambiente e o desenvolvimento de uma proposta de decoração, entregue com um modelo 3D e com uma lista de compra dos produtos indicados.

Há ainda um segundo produto, denominado Pá-pum, que é oferecido por um preço ainda mais baixo: R$ 149 por composição. A proposta, neste caso, é de auxiliar os clientes com pequenas intervenções em ambientes já decorados, como compor uma galeria de quadros em uma parede ou fazer a produção de uma estante, por exemplo. Nos dois modelos, os clientes podem trocar impressões com o arquiteto ou decorador responsável pelo projeto e reprovar ou aprovar uma entrega.

4. EasyDeco


Projeto produzido pela EasyDeco para uma cliente (Foto: EasyDeco)

Para aproximar as pessoas do contato com arquitetos e possibilitar o esclarecimento de dúvidas de forma acessível, Miriam Yokoyama decidiu criar a EasyDeco, uma startup que une serviços e produtos para quem quer decorar a casa de forma personalizada e prática. Ao lado do colega de faculdade Renato Tano, a empreendedora decidiu apostar na tecnologia para tornar o acesso à casa dos sonhos mais democrático.

“Ao longo do desenvolvimento de mais de 5.000 projetos em todo Brasil, criamos ferramentas e processos para ajudar os profissionais a capturar os desejos e necessidades do cliente de forma simples e eficiente, fazendo com que os projetos sejam cada vez mais assertivos, encantem mais o cliente e que ele consiga tirar da telinha de forma prática e acessível”, explica Miriam.

Entre os serviços principais da startup, há o EasyConselhos, uma consultoria de R$ 99, dividida em duas chamadas de vídeo, para quem busca renovar um ambiente sem grandes mudanças. O produto inclui a criação de uma lista de dicas e de itens sugeridos.

A empresa oferece ainda um projeto personalizado para pessoas que buscam transformações maiores em um ambiente. Neste serviço, a Easydeco conecta o cliente com um profissional adequado, conforme as demandas do usuário, e entrega um projeto com imagens 3D realistas em um período de aproximadamente duas semanas. Caso o cliente não goste do projeto, é possível fazer revisões sem qualquer custo adicional. Neste caso, o valor é de R$ 499 por ambiente.

5. Favelar


(Foto: Reprodução / Instagram)

O projeto Favelar foi desenvolvido para oferecer reformas e construções por preços populares em comunidades do Rio de Janeiro. A startup, criada pelo engenheiro civil Fabio de Moraes, surgiu por conta da escassez de profissionais qualificados que atendessem a população de regiões periféricas. A empresa possui um valor médio de R$ 5.400 por reformas. O montante inclui o projeto, a mão de obra e todos os custos com a renovação. No link, confira uma reportagem completa sobre a iniciativa.

Fonte: www.casavogue.globo.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *